central anti-boataria

Disseram por aí que a Universidade em Movimento expulsou um membro por participar de uma reunião com o Rodas…

Nós, do Universidade em Movimento, acreditamos que em determinados momentos as entidades estudantis devem levar suas reivindicações à reitoria. Quando existe força e possibilidade de negociar, isso é fundamental para que nossas pautas avancem. Por exemplo, fazendo parte do Fórum Aberto Pela Democratização da USP, membros da Universidade em Movimento se reuniram com o Secretário-Geral da Reitoria, Rubens Beçak, para entregar os abaixo-assinados da campanha Por Uma Comissão da Verdade da USP. Isso não é um problema.

Diferente dessa situação, a conversa entre Weslley “Fininho” e a reitoria se deu intermediada pela Reação que, mesmo após perder as eleições, tentou se colocar como porta-voz dos estudantes perante a reitoria. Além disso, a Reação, auxiliada por “Fininho” ainda tentava construir a imagem de Rodas como um reitor que dialoga.

Tal atitude buscava legitimar Rodas e deslegitimar o DCE. O Universidade em Movimento tem completo rechaço às políticas implementadas pela reitoria através da pessoa de Rodas, e isso está expresso em todos os nossos documentos. O Universidade em Movimento também respeita a democracia interna do movimento estudantil e defende que uma chapa que perdeu as eleições não tem legitimidade nenhuma para negociar com a reitoria em nome dos estudantes. Encaramos as atitudes da Reação em conjunto com “Fininho” como completamente incompatíveis com a democracia e com os princípios da Universidade em Movimento, e por isso o “Fininho” foi expulso de nosso coletivo.

Disseram por aí que a chapa É USP Então é um racha da Universidade em Movimento…

Em 2011 e nas eleições de março de 2012, o Universidade em Movimento compôs com uma parcela dos estudantes de Ribeirão Preto. Construímos um programa específico, com as suas demandas e particularidades, relacionando-as com a realidade geral da USP: o sucateamento e privatização da Universidade, por exemplo. Os princípios e demandas que norteavam os debates em Ribeirão Preto até o final das eleições em março eram compatíveis com nossos princípios.

Após a movimentação protagonizada por “Fininho” (ler no tópico acima), ele foi expulso do coletivo e o contato do resto do coletivo com o campus de Ribeirão Preto se tornou pontual. Em decorrência de outras movimentações locais de Ribeirão, a chapa É USP Então foi formada pelo próprio “Fininho” e apoiada por outras pessoas que, em outro momento, se aproximaram da Universidade em Movimento.

Muito diferente de um “racha”, a chapa É USP Então, foi construída a partir de princípios divergentes aos do Universidade em Movimento, e prega a apatia e a despolitização do movimento estudantil. A chapa É USP Então tem suas políticas próprias, sua forma de organização particular e suas propostas de acordo com o entendimento que lhes é particular. Por trás de um discurso anti-partidos, a chapa É USP Então esconde seu apoio à política de Rodas e à manutenção da “ordem” na Universidade de São Paulo. Não temos nenhum acordo com suas práticas, não temos nenhuma ligação com seus militantes e rechaçamos essa forma de fazer política que se esconde atrás de uma crítica vazia aos “partidos” para fazer política partidária, pois defende um lado. E certamente não é o nosso.

Disseram por aí que nós criticamos a gestão “Todas as Vozes” do DCE “de fora” e que isso é cínico porque parte da nossa chapa fez parte da última gestão…

Cínico é o grupo majoritário, que deve prezar para que os outros grupos e independentes tenha espaço dentro da gestão de se colocarem, opinarem, achar que é de responsabilidade dos grupos minoritários construírem e garantirem que esses processos aconteçam.
Cínicas são as pessoas que nos fazem esse tipo de cobrança e “denúncia” terem construído o ano todo pautas referentes a sua corrente partidária, sem construir a entidade virem falar que estamos nos auto-construindo por termos, agora, um coletivo onde todos nós possamos opinar, nos colocar e tocar as pautas da universidade.
De fato parte do nosso coletivo tentou por dois anos seguidos alianças de unidade com o MES/PSOL, mas nunca tivemos espaço interno para construir as coisas que achávamos relevantes ou tocar pautas de uma maneira condizente com o que acreditávamos ser necessário. Pelo contrário, tínhamos de barganhar nossa militância para aprovar coisas simples como o EnCA (Encontro de Centros Acadêmicos), por exemplo.
Acreditamos na unidade, e exatamente por isso agora temos uma chapa de real unidade da esquerda, e a crítica aos rumos da esquerda não é cinismo; é um processo para ajudar a que sejamos mais fortes, mais honestos e mais combativos.

Disseram por aí que nós estamos destruindo a unidade do movimento estudantil…

Convidamos todos a lerem a “Resposta ao ‘chamado à unidade'”,  postada no dia 4 de novembro de 2011.

Disseram por aí que no “Resposta ao ‘chamado à unidade'” estamos dizendo mentiras e caluniando.

Gostaríamos de saber quais são as mentiras que estão escritas lá.

Disseram por aí que postar fotos de diretor@s do DCE em atividades do DCE é “lamentável” e “anti-ético”…

O que é anti-ético? É anti-ético cobrar da gestão do DCE pela conduta dos diretores/as do DCE nas atividades do DCE, ou é anti-ético a gestão divulgar uma atividade para todo o movimento estudantil, como se fosse uma atividade do DCE, e na hora não ter nenhum material do DCE, apenas do seu grupo? Essa é uma questão que cabe ao movimento estudantil da USP discutir. Leia mais.

Disseram por aí que a UJS vai sair na chapa “Universidade em Movimento” para o DCE

Isso é mentira. A chapa composta pela UJS chama “Quem vem com tudo não cansa”, e até a Folha de São Paulo já sabe disso.

Disseram por aí que vocês apoiam o Kadafi. É verdade?

Não, não apoiamos. Nós defendemos a luta pela liberdade e soberania do povo Líbio, mas também somos contra a intervenção externa de interesse econômico, como a protagonizada pela OTAN.

  1. Vivian Valente Petri

    Uma central anti-boataria é fundamental em um movimento estudantil especializado na pequena política, na picuinha e denúncias infundadas!

  2. José Luis

    Perfeito, quando há espaço para a pequena política significa que a grande vai mal….

  3. Boa tarde, companheiros.
    Sei que algumas pessoas e correntes da chapa Universidade em Movimento participaram da gestão de 2011 do DCE. Gostaria de saber qual o balanço que vocês (enquanto chapa) fazem dessa gestão e também o balanço do movimento no ano passado (em especial o momento decisivo na desunificação do movimento: aquela assembléia onde alguns foram pra casa e outros pra reitoria).
    Obrigada

  4. Olá Clarissa,
    o nosso balanço sobre o movimento no ano passado pode ser encontrado aqui:

    https://universidadeemmovimento.wordpress.com/2012/02/29/os-rumos-do-movimento-estudantil-na-usp-um-balanco-sobre-a-mobilizacao-estudantil-iniciada-em-2011/

    o nosso balanço sobre a gestão do DCE, nosso balanço pode ser encontrado aqui:

    https://universidadeemmovimento.wordpress.com/central-anti-boataria/resposta-ao-chamado-a-unidade/

    conseguimos responder suas dúvidas?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: